logo_Casa_999759_Prancheta 1.png

Fernando Lemos

Mais a Mais ou Menos

Curadoria: Rosely Nakagawa

Vídeo
Mais a Mais ou Menos
Live com Rosely Nakagawa e Thyago Nogueira
Mais a Mais ou Menos
Em cartaz de 5 a 28/mar/2021

Curadoria Rosely Nakagawa

Fotografia de Fernando Lemos / Acervo Instituto Moreira Salles


 

“nos meus pensamentos sempre
as palavras lutam duas a duas pela verdade

palavras se metem dentro
de outras palavras querendo ideias

sou uma caixa de vários lados
com vários cantos
com duas sombras

uma escura que nasce da clara
outra clara que nasce da escura

a luz cintila e a sombra dorme
a sombra estatela-se e a luz ergue-se

nasce cada palavra dentro de outra palavra”

 

Fernando Lemos 

 

Este Fernando Lemos, nascido em Lisboa em maio de 1926, mais conhecido como fotógrafo, construiu uma trajetória artística exuberante, estruturada na libertação, subversão, provocação e contestação das regras.

Carregado pela mãe, ainda menino, ia ao mercado e às feiras, lendo em voz alta os jornais usados para embrulhar peixes. Na adolescência, foi trabalhar em uma litografia; depois como desenhista e então em agências de publicidade. Em 1949, comprou uma máquina fotográfica Flexaret e começou a fotografar. Sua primeira exposição surrealista ampliou a visão de arte portuguesa em pleno período de repressão do governo de Salazar, na década de 1940. A primeira exposição, no Rio de Janeiro, provocou sua mudança definitiva para o Brasil, pouco antes do golpe militar de 1964.

Sempre explorando processos gráficos e fotográficos, ancorado no fazer artístico, construiu uma linguagem própria, recorrendo à inversão, à fragmentação, à solarização e a sobreposições. Sua obra é marcada pela imagem construída, visando um efeito de revelação, ocultação, incisão, encenação, invenção e assinalada pela participação das mãos como ferramenta de construção de um diálogo entre o trabalho e o sonho.

Para Tereza Siza“...tudo nele se liga, o físico e o econômico, o social e o político, a cultura que enfraqueceu os seus suportes tradicionais. A diversidade das opções, da obra, dos caminhos a seguir assenta na liberdade de pensar e de agir que orientou a sua personalidade, a sua vida e a sua influência.”

Jorge Molder diz, no catálogo de 1994 da Fundação Calouste Gulbenkian, “uma obra com tal robustez e complexidade obriga sempre a um exercício periódico de revisitação que a redescobre e reinventa”. É este exercício que gostaríamos de propor a respeito deste artista imenso e intenso que está sempre a nos surpreender com a sua caixa de vários lados a iluminar as nossas sombras e transparências.

 

Rosely Nakagawa 

 

FICHA TÉCNICA:

Fotografias: Fernando Lemos / Acervo Instituto Moreira Salles

Curadoria: Rosely Nakagawa

Produção Executiva: Ana Angélica Costa

Produção: Cristiane Taguchi e Cassiane Tomilhero

Museologia: Débora Bruno

Montagem: Rogério Borges

Rosely Nakagawa - curadora

Rosely Nakagawa é curadora independente, graduada em Arquitetura pela FAUUSP Faculdade de Arquitetura em 1977, com especialização em Museologia em 1979, pela Universidade de São Paulo.

Criou a primeira galeria de Fotografia em São Paulo, a Galeria FOTOPTICA com Thomaz Farkas em 1979. Coordenou a Casa da Fotografia FUJI desde 1996, com Stefania Bril, foi curadora das galerias Fnac de 2004 a 2010.

Como curadora, atua nas principais Instituições Culturais Brasileiras e Internacionais, tendo realizado mostras na Pinacoteca, MASP, MAC, MAM do Estado de São Paulo, MON de Curitiba, Memorial da Cultura Cearense em Fortaleza, Museu Nacional de Brasilia, circuito nacional da Caixa Cultural, SESC, Itaú, entre outros.

No exterior, realizou projetos de curadoria no MOMA PS1,  Guggenheim, Museu Metropolitano de Nagoya, Museu de Belas Artes da Belgica, Fundação Calouste Gulbenkian, Galeria 111. Tem trabalhado nas edições de livros Fotografia de fotógrafos brasileiros e estrangeiros, entre eles: Anna Mariani, Carlos Moreira, Eduardo Viveiros de Castro, Keiichi Tahara, Luc Chessex, Luis Braga, Luiz Gonzalez Palma, Mario Cravo Neto, Martin Chambi, Maureen Bisilliat, Pedro Lobo, Sebastião Salgado, Thomaz Farkas, Tiago Santana, entre outros nomes da fotografia contemporânea.

Como comissária e curadora da mostra de artistas plásticos como Fabrizio Plessi, Fernando Lemos, Feres Khoury, Luise Weiss, Rubens Matuck, entre outros.