logo_Casa_999759_Prancheta 1.png

Helena Siemsen Giestas

Quando Não Vejo Mais

Quando Não Vejo Mais
Em cartaz de 8/nov a

Quando Não Vejo Mais é um conjunto de obras apresentadas em instalações, imagens em suportes de parede, cadernos feitos à mão, e transparências. Todos partem de recortes sobre imagens no papel fotográfico que dobradas ao avesso, transformam-se em "foto-recortes". Fotografo pessoas em beiras de estradas de Goiás, Bahia, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo com quem cruzo por frações de segundos e em movimento. No momento de interferir sobre as imagens, desacelero o olhar e respiro ao destacar os detalhes de cada indivíduo. Ao interferir no plano da fotografia e descartar seu cenário inicial, escolho (des)cobrir novos protagonistas: ruptura de planos, contornos, e suas sombras. Me interessa o deslocamento dos indivíduos retratados para além de suas realidades.

Cruzo caminhos e escolho colecionar movimentos. Persigo deslocamentos que vivem às margens. Escavo com lâmina os contornos de cada figura encontrada e descubro a inversão deles: o negativo, o verso do papel, a sombra. Surge o respiro como abertura para algo vital, além do estático do plano através do rasgo, da ruptura no positivo da imagem. Quando não vejo mais, me delicio ao descobrir um novo plano de tempo, novas formas e perspectivas.

 

Da lâmina que atravessa papéis até cegar, da angústia que silencia depois de tanto escavar, dos recortes surge o respiro. 

Então a descoberta do espacial, a forma no plano que no espaço desapareceu.

Paro de procurar fora o que agora enxergo dentro.  

Respiro fundo e descubro que os encontros e desencontros nos meus caminhos, nas minhas imagens, cenários e personagens, passam de formas e cores para o avesso cândido de informações.  

Somente abstrações no branco do papel.

O corte da lâmina de tanto cegar abre o plano interior. 

 

Quando não vejo mais, espio.

Fotografo lá fora para ver aqui dentro. 

Fundir sombras me traz o essencial.

Helena Siemsen Giestas

Helena Siemsen Giestas

Helena é fotógrafa com pesquisa artística explorando a tridimensionalidade a partir de foto-recortes, edições em livros e transparências.
Trabalhou como fotógrafa de família e casamentos por aproximadamente 10 anos. Desde 2008 participa de várias exposições artísticas coletivas e algumas individuais na região de Campinas, no Brasil e nos EUA.
Participou recentemente no festival de fotografia de Arles na França e com seu fotolivro autoral no Fotobook Dummy Awards em Kassel, na Alemanha.
Em 2010 concluiu a Especialização de Artes Visuais, Multimeios e Educação, na Unicamp. Helena é aluna e fã do Velho Livreiro desde 2016. Vive em Valinhos no interior de SP há 15 anos onde tem seu ateliê Canto da Foto, local onde trabalha com edição de álbuns, encadernação manual e fotobiografia.